XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

PANORAMA DO NÚMERO DE MASTECTOMIAS REALIZADAS NO BRASIL ENTRE OS ANOS DE 2019 E 2020: UMA ANÁLISE DO IMPACTO DA PANDEMIA DE SARS-COV-2

Introdução

A mastectomia é uma modalidade de tratamento para o câncer de mama que consiste na retirada cirúrgica de toda a mama, empregada quando não é possível realizar cirurgia conservadora ou quando há grandes chances de desenvolver um segundo câncer de mama. A mastectomia pode ser simples, radical ou dupla dependendo do estancamento da paciente, da preferência da mulher e de fatores genéticos associados.

Objetivo

Este trabalho tem como objetivo analisar o número de mastectomias realizadas no Brasil, entre os anos de 2019 e 2020, tendo em relação a pandemia de SARS-CoV-2.

Método

Estudo epidemiológico transversal descritivo a partir de dados do Departamento de Informática do SUS (DATASUS), entre janeiro de 2019 e dezembro de 2020.

Resultados

No período analisado, foram realizadas 14643 mastectomias radicais com linfadenectomia axilar e simples. Ocorreu uma queda de 13,6% no número de mastectomias no ano de 2020 em comparação com o ano anterior, sendo a maior queda vista na região Nordeste (16,5%) e a menor na região Norte (3,8%). Podemos analisar que apenas no mês de Novembro de 2020, houve uma queda de 26% no número de procedimentos realizados. Os estados do Sul (8,9%), do Centro-Oeste (8,5%) e do Sudeste (16,4% )também apresentaram diminuição no número de mastectomias realizadas.

Conclusão

Cerca de 1070 pacientes a menos passaram pelo procedimento de mastectomia em 2020, notando-se que a pandemia afetou significativamente a vida dos pacientes oncológicos brasileiros. A superlotação dos sistemas de saúde, associado ao receio da população por procurar um atendimento médico, fez com que muitos pacientes ficassem sem atendimento adequado e segmento de seus tratamentos oncológicos. A suspensão das cirurgias eletivas fez com que as filas de espera pelos procedimentos aumentassem. A importância do diagnóstico precoce, do estabelecimento do estadiamento e então o começo do tratamento oncológico é fundamental para um melhor prognóstico das pacientes com câncer de mama.

Palavras-chave

mastectomia; pandemia; covid-19

Área

Oncomastologia*

Autores

LAURA PSCHICHHOLZ