XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Ressecção multivisceral versus gastrectomia isolada no câncer gástrico: análise após pareamento por escore de propensão

Introdução

O câncer gástrico (CaG) com invasão de órgãos adjacentes (T4b) deve ser manejado com gastrectomia em monobloco com os órgãos invadidos (ressecção multivisceral - RMV) quando for factível obter margens livres. A RMV no CaG traz morbi-mortalidade elevadas e, aparentemente, piores dos que a gastrectomia isolada. Entretanto, os estudos contêm viéses e muitas variáveis de confusão. No único artigo comparando a RMV com a gastrectomia isolada, os grupos não foram similares. Assim, não se sabe o real impacto da RMV no CaG.
O pareamento por escore de propensão (Propensity Score Matching - PSM) permite balancear 2 grupos distintos, cujo tratamento inicial foi diferente. Assim, ele simula um estudo randomizado, eliminando o viés de seleção, e a diferença de resultados pode ser atribuída ao tratamento realizado.

Objetivo

Comparar o resultado de curto prazo da RMV com a gastrectomia isolada em pacientes com CaG.

Método

Pacientes com CaG submetidos à RMV foram comparados com os que receberam gastrectomia isolada através de PSM. O desfecho principal foi a mortalidade em 90 dias.
Foram critérios de inclusão: adenocarcinoma gástrico e cirurgia com intuito curativo. Os pacientes foram pareados 1:1 de acordo com as variáveis: sexo, idade, comorbidades, ASA, hemoglobina, quimioterapia pré-operatória, gastrectomia realizada, pT e pN.

Resultados

Após o pareamento, restaram 57 pacientes em cada grupo. Os grupos se tornaram equiparáveis em relação às variáveis selecionadas. Desfechos estatisticamente diferentes entre os grupos, passaram a ser equivalentes: complicações pós-operatórias maiores pré-PSM - 14,5 vs 26,6% (p = 0,011), pós-PSM - 21,1 vs 26,3% (p = 0,509); mortalidade em 90 dias pré-PSM - 6,6 vs 10,5% (p = 0,020), pós-PSM - 10,5 vs 17,5%, (p = 0,281). A sobrevida global também se tornou similar. Foram fatores associados a óbito em até 90 dias: idade > 65 anos (OR: 3,39) e ressecção de 2 ou mais órgãos além do estômago (OR: 4,62). A ressecção R1 e a cirurgia exclusiva (sem tratamento multimodal) foram fatores independentes de pior prognóstico (OR: 3,61 e 2,81, respectivamente).

Conclusão

Ao parear os pacientes, eliminando o viés de seleção, foi notável que a diferença na morbidade, mortalidade e sobrevida, da RMV em relação à gastrectomia isolada, deixou de ser estatisticamente significativa, revelando que se tratam de pacientes graves e de maior risco desde o princípio.
A ressecção de 2 ou mais órgãos, além do estômago, foi o principal fator associado a mortalidade em 90 dias em pacientes com CaG operados.

Palavras-chave

câncer gástrico, T4, ressecção multiórgãos, gastrectomia, tratamento multimodal

Área

Trato gastrointestinal alto

Autores

ANDRE RONCON DIAS, MARINA ALESSANDRA PEREIRA, MARCUS KODAMA RAMOS, ULYSSES RIBEIRO JR, BRUNO ZILBERSTEIN, SERGIO CARLOS NAHAS