XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Ressecção multivisceral versus gastrectomia isolada no câncer gástrico: análise após pareamento por escore de propensão

Introdução

O câncer gástrico (CaG) com invasão de órgãos adjacentes (T4b) deve ser manejado com gastrectomia em monobloco com os órgãos invadidos (ressecção multivisceral - RMV) quando for factível obter margens livres. A RMV no CaG traz morbi-mortalidade elevadas e, aparentemente, piores dos que a gastrectomia isolada. Entretanto, os estudos contêm viéses e muitas variáveis de confusão. No único artigo comparando a RMV com a gastrectomia isolada, os grupos não foram similares. Assim, não se sabe o real impacto da RMV no CaG.
O pareamento por escore de propensão (Propensity Score Matching - PSM) permite balancear 2 grupos distintos, cujo tratamento inicial foi diferente. Assim, ele simula um estudo randomizado, eliminando o viés de seleção, e a diferença de resultados pode ser atribuída ao tratamento realizado.

Objetivo

Comparar o resultado de curto prazo da RMV com a gastrectomia isolada em pacientes com CaG.

Método

Pacientes com CaG submetidos à RMV foram comparados com os que receberam gastrectomia isolada através de PSM. O desfecho principal foi a mortalidade em 90 dias.
Foram critérios de inclusão: adenocarcinoma gástrico e cirurgia com intuito curativo. Os pacientes foram pareados 1:1 de acordo com as variáveis: sexo, idade, comorbidades, ASA, hemoglobina, quimioterapia pré-operatória, gastrectomia realizada, pT e pN.

Resultados

Após o pareamento, restaram 57 pacientes em cada grupo. Os grupos se tornaram equiparáveis em relação às variáveis selecionadas. Desfechos estatisticamente diferentes entre os grupos, passaram a ser equivalentes: complicações pós-operatórias maiores pré-PSM - 14,5 vs 26,6% (p = 0,011), pós-PSM - 21,1 vs 26,3% (p = 0,509); mortalidade em 90 dias pré-PSM - 6,6 vs 10,5% (p = 0,020), pós-PSM - 10,5 vs 17,5%, (p = 0,281). A sobrevida global também se tornou similar. Foram fatores associados a óbito em até 90 dias: idade > 65 anos (OR: 3,39) e ressecção de 2 ou mais órgãos além do estômago (OR: 4,62). A ressecção R1 e a cirurgia exclusiva (sem tratamento multimodal) foram fatores independentes de pior prognóstico (OR: 3,61 e 2,81, respectivamente).

Conclusão

Ao parear os pacientes, eliminando o viés de seleção, foi notável que a diferença na morbidade, mortalidade e sobrevida, da RMV em relação à gastrectomia isolada, deixou de ser estatisticamente significativa, revelando que se tratam de pacientes graves e de maior risco desde o princípio.
A ressecção de 2 ou mais órgãos, além do estômago, foi o principal fator associado a mortalidade em 90 dias em pacientes com CaG operados.

Palavras-chave

câncer gástrico, T4, ressecção multiórgãos, gastrectomia, tratamento multimodal

Área

Trato gastrointestinal alto*

Autores

ANDRE RONCON DIAS, MARINA ALESSANDRA PEREIRA, MARCUS KODAMA RAMOS, ULYSSES RIBEIRO JR, BRUNO ZILBERSTEIN, SERGIO CARLOS NAHAS