XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Paraganglioma de corpo carotídeo em paciente jovem com alto grau de dificuldade em ressecção cirúrgica: relato de caso

Apresentação do caso

Paciente feminina, 25 anos, apresentando massa cervical de localização jugulocarotídea alta, à esquerda, e linfonodomegalias, com evolução de 5 anos e progressão lenta do crescimento. Videolaringoscopia não evidenciou alterações. Tomografia computadorizada de região cervical com contraste evidenciou lesão expansiva medindo 4,7 x 2,6 cm com características de linfonodomegalias conglomeradas nos níveis II e III da cadeia cervical esquerda, exercendo compressão extrínseca nos grandes vasos do pescoço, além de discreto abaulamento na parede lateral esquerda da faringolaringe e obliteração parcial de valécula esquerda por compressão extrínseca linfonodal. Optou-se por realização de biópsia de congelação transoperatória da lesão, que excluiu carcinoma ou linfoma. Seguiu-se então com ressecção da lesão. A cirurgia apresentou alto grau de dificuldade, com identificação de compressão do bulbo carotídeo e importante redução do calibre da veia jugular interna (lesão envolvendo 120º a 130º da circunferência da artéria). Além disso, a lesão invadia o nervo hipoglosso e o ventre posterior do músculo digástrico. A peça cirúrgica foi submetida a estudo anatomopatológico, que não foi conclusivo, e imunohistoquímica, que foi compatível com paraganglioma.

Discussão

Paraganglioma de corpo carotídeo é uma neoplasia rara, hipervascularizada, derivada de células paragangliônicas localizadas na bifurcação da artéria carótida comum ao nível de sua camada adventícia. Ocorre geralmente em pacientes na quarta e quinta décadas de vida e tem um componente hereditário associado (6 vezes mais chance quando comparado com paragangliomas de outras localizações). Tem caráter benigno em 90% dos casos, mas há uma pequena chance de malignização. O principal tratamento é a ressecção cirúrgica, que é difícil, devido à intensa vascularização tumoral e pela proximidade do tronco arterial na região cervical.

Comentários Finais

Os paragangliomas do corpo carotídeo são raros, mas ainda assim representam 60 a 70% dos casos de paragangliomas de cabeça e pescoço. Sua ocorrência em pacientes jovens como a paciente do caso é ainda mais rara. Nesse caso, é importante realizar a investigação hereditária e manter o seguimento da paciente por longo prazo, devido a chance de surgimento de doença metastática.

Palavras-chave

Paraganglioma; Corpo carotídeo; Ressecção cirúrgica

Área

Tumores de Cabeça e Pescoço*

Autores

AMANDA DA SILVA ANJOS, FILIPE VIEIRA KWIATKOWSKI, RAFAEL VIEIRA KWIATKOWSKI, DANIELLE REDIESS BONOW, SABINE TRIGUERO TEIXEIRA, JÚLIA COPETTI BURMANN, DAIANE CAVALARI MANCUZO, MARIA EDUARDA MARQUES LIMA