XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

GIST de delgado como causa de hemorragia digestiva oculta: Relato de Caso

Apresentação do caso

M.A.F.G, 59 anos, feminina, previamente hipertensa, admitida com quadro de fraqueza, sincope e hematoquezia há 2 dias. Relato de melena e perda de peso há 2 meses. Exame físico abdominal sem alterações. Exames laboratoriais sem alterações em marcadores tumorais e demonstrando anemia. Tomografia de abdome total com imagem nodular com atenuação de partes moles e realce pós contraste aparentemente no interior da luz de alça jejunal no flanco esquerdo, medindo 3,3 x 2,1 x 1,9cm, com sinais sugestivos de invaginação intestinal à montante. Linfonodo adjacente à alça intestinal suprarreferida medindo 1,0 x 0,7cm. Realizado laparotomia exploradora com enterectomia e enteroanastomose latero-lateral isoperistaltica com boa evolução pós-operatória. Anatomopatológico compatível com GIST, CKIT positivo, com taxa de proliferação celular (KI67) de 1% e linfonodos livres de doença. Paciente evoluiu sem intercorrências com alta hospitalar no 3º pós-operatório.

Discussão

Tumores estromais gastrointestinais (GISTs) são neoplasias mesenquimais, normalmente com origem no trato gastrointestinal e a apresentação no intestino delgado corresponde a 25 a 30% dos casos. GISTs de intestino delgado apresentam mutações do proto-oncogone KIT no Exon 9 e tendem a ser mais agressivos que os gástricos. O crescimento exofítico destas lesões na camada submucosa do órgão leva a alterações na camada mucosa, sendo comuns episódios de hemorragia digestiva por ruptura intra-luminal. O diagnóstico etiológico do sangramento pode não ser evidente na avaliação inicial. A tomografia computadorizada é útil para caracterizar o tamanho tumoral e avaliar a presença de metástases, assim como endoscopia digestiva alta e colonoscopia. O tratamento padrão é cirúrgico e corresponde a ressecção do tumor com margens histologicamente negativas, sendo que não há necessidade de linfadenectomia para maioria dos casos. Em casos de indicações de neoadjuvancia ou adjuvancia, o imatinib é a medicação de escolha.

Comentários Finais

O diagnóstico na hemorragia digestiva oculta, por vezes, pode ser um desafio. GISTs do intestino delgado podem se apresentar como causa para hemorragias digestivas sem achados a colonoscopia ou endoscopia digestiva alta. Exames de imagem como a tomografia computadorizada tem papel importante na investigação e suspeita diagnóstica. Tratamento cirúrgico é considerado o de escolha podendo ser ou não associado ao tratamento clínico.

Palavras-chave

GIST; delgado; hemorragia

Área

Trato gastrointestinal alto*

Autores

MARINA MONTEGUTI SAVI, ANTONIO MATOS ROCHA, NASARENO SILVA, MATHEUS ZAMBONATTO, RODRIGO SCOPEL, SAINT CLAIR OLIVEIRA