XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Adenomas Gástricos Foveolares Múltiplos com Progressão Carcinogênica: Relato de Caso

Apresentação do caso

E.S.S., masculino, 56 anos, hipertenso, portador de Insuficiência Renal Crônica não dialítica, chega ao ambulatório referindo diagnóstico de câncer gástrico após seguimento clínico prolongado decorrente de múltiplos pólipos no estômago. Relata história de anemia severa com necessidade de hemotransfusão e nega perda ponderal. Realizou uma endoscopia digestiva alta (EDA) com biópsia que evidenciou polipose gástrica volumosa, cujo exame histopatológico demonstrou uma neoplasia intraepitelial de alto grau em mucosa gástrica. Exames laboratoriais indicaram hemoglobina de 7,5 g/dl e hematócrito de 28%. Foi realizado uma gastrectomia total com linfadenectomia D2 e reconstrução esôfago-jejunal término-lateral em Y de Roux, além de uma colecistectomia e uma jejunostomia. No pós-operatório, foi submetido à diálise devido agudização da insuficiência renal, até o retorno da função renal basal. O laudo histopatológico da peça cirúrgica indicou a presença de adenocarcinoma intramucoso desenvolvendo em adenoma foveolar, mais de 100 lesões adenomatosas de baixo grau (tipos foveolares e intestinal) e ausência de comprometimento linfonodal.

Discussão

Os Adenomas Gástricos são pólipos neoplásicos da mucosa considerados relativamente infrequentes (6-10% dos Pólipos Gástricos), cujo potencial de malignização depende principalmente do grau de displasia presente nos pólipos. Podem ser considerados precursores diretos do Adenocarcinoma Gástrico, com relatos na literatura mundial variando de 2,5% a 50%, além do risco de cerca de 8-59% de desenvolver um Câncer Gástrico Sincrônico. A maioria dos Adenomas Gástricos são assintomáticos e solitários, sendo achados acidentais de EDA. Em casos raros, estes adenomas podem ser sintomáticos e cursarem com sangramento gastrointestinal, anemia e obstrução gastrointestinal.

Comentários Finais

Este relato torna-se fundamental, devido à sua baixa incidência, já que a presença de múltiplos pólipos gástricos, uma sintomatologia importante (anemia grave e sangramento gástrico significativo) e a progressão carcinogênica oriunda de adenoma gástrico do subtipo foveolar são condições raras de ocorrerem em pacientes portadores de Adenoma Gástrico. Ademais, a colecistectomia geralmente é realizada devido ao risco de complicações associadas à vagotomia troncular e à manutenção da vesícula biliar (colecistite aguda aliatiásica ou litiásica), uma vez que a excisão gástrica total provoca um prejuízo à inervação da vesícula biliar.

Palavras-chave

polipose gástrica, câncer gástrico

Área

Trato gastrointestinal alto*

Autores

BRUNO AQUINO MARCELINO, CAIQUE RODRIGUES DOS SANTOS, LEONARDO CARNEIRO VALE, ÉRICA MEDEIROS GOMES, MARCELLA CABIDO RUFFO, DANIEL DE CHRISTO ESTEVES, JACYARA RIBEIRO VARGAS, LAVÍNIA BARCELLOS ARAÚJO, ISADORA PASSAMANI REIS INNOCENCIO