XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Tumor Ovariano de Células Germinativas na Infância: Relato de Caso

Apresentação do caso

I.V.S., 10 anos, feminina, Tanner M2P3 foi encaminhada ao serviço de Cirurgia Oncológica devido ao surgimento de uma massa pélvica associada a uma distensão e desconforto abdominal. Solicitou-se uma tomografia computadorizada de abdome que evidenciou uma formação expansiva sólido-cística volumosa de dimensões 21,5 x 8,5 x 14,4 cm, centrada na pelve. Partindo da hipótese de uma neoplasia de ovário, foi feita a pesquisa dos principais marcadores tumorais, cujos resultados evidenciaram uma dosagem de Alfa-fetoproteína elevada (AFP - 24.808 ng/mL), Beta-HCG (BHCG) negativo e uma Desidrogenase Lática elevada (694 UI/L). Optou-se pela conduta cirúrgica, na qual foi feita uma laparotomia mediana. Durante o inventário da cavidade, identificou-se uma tumoração em ovário esquerdo que ocupava toda a cavidade pélvica, estendendo-se até a região epigástrica, aderindo-se ao omento e jejuno, mas sem sinais de metástases ou acometimento tumoral em ovário contralateral. Realizou-se uma ooforectomia e salpingectomia à esquerda em monobloco, além de uma omentectomia parcial associada à enterectomia segmentar. Não houve intercorrências no pós-operatório (PO). O resultado do anatomopatológico foi sugestivo de tumor de seio endodérmico em ovário esquerdo, sendo posteriormente confirmado pela imunohistoquímica. Iniciou quimioterapia adjuvante no PO. Durante o seguimento clínico foi feita a dosagem semanal da AFP cursando com queda progressiva nas primeiras 6 semanas. Paciente segue em acompanhamento ambulatorial.

Discussão

Os Tumores de Células Germinativas (TCGs) são raros em crianças, correspondendo a aproximadamente 3% dos tumores malignos. Os TCG podem diferenciar-se em tecidos somáticos das linhagens endodérmicas, mesodérmicas e/ou ectodérmicas. Ademais, as células do TCG podem se diferenciar assemelhando-se a estruturas extraembrionárias, como o saco vitelino (tumor do seio endodérmico) ou a placenta. Os tumores com elementos do saco vitelínico secretam apenas a AFP. A cirurgia é essencial no estadiamento e tratamento do TCGs. A conduta cirúrgica com preservação da fertilidade pode ser considerada nas fases iniciais da doença.

Comentários Finais

É necessário um plano de tratamento personalizado, com abordagem multidisciplinar que englobe o local de origem, idade, ressecabilidade e estadiamento. Os marcadores tumorais colaboram para o diagnóstico, detecção e avaliação da progressão tumoral, sendo fundamentais na avaliação da resposta terapêutica.

Palavras-chave

Tumor do Seio Endodérmico, Tumor de Células Germinativas, Neoplasia Ovariana.

Área

Oncoginecologia*

Autores

EVERTON OTAVIO FLORES FERRAO, CAIQUE RODRIGUES DOS SANTOS, JACYARA RIBEIRO VARGAS, LAVINIA BARCELOS ARAUJO, ERICA MEDEIROS GOMES, MARCELA CABIDO RUFFO, PAMELA AMARAL, MIGUEL MIRANDA VICENTINI, LEONARDO CARNEIRO VALE, ISADORA PASSAMANI REIS INOCÊNCIO