XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Adenocarcinoma de apêndice cecal como achado laparoscópica de suspeita de apendicite aguda: Relato de caso

Apresentação do caso

R.S.J, 29 anos, feminina, admitida no serviço com dor abdominal em
hipogástrio há 3 dias. Exame físico com dor a palpação em fossa ilíaca direita, sem irritação
peritoneal. Exames laboratoriais sem alterações. Tomografia computadorizada de abdome com
processo inflamatório no hipogástrio entre ceco e sigmoide, com coleção medindo
3,2x2,9x2,7cm associado a leve espessamento do sigmoide; pequena quantidade de liquido
livre. Realizada laparoscopia com achado de ponta do apêndice endurecida, aderida ao
sigmoide e retroperitônio, formando massa tumoral; mínima quantidade de mucina em
cavidade perilesão, retirada da cavidade abdominal. Submetida a apendicectomia e
retosigmoidectomia com anastomose término-terminal. Evoluiu no 10º pós-operatório com
quadro suboclusivo, tratado clinicamente com melhora. Anatomopatológico com
adenocarcinoma mucinoso invasivo bem diferenciado pTpNxpMx; retroperitônio e sigmoide
livres de lesão. Optado por nova abordagem cirúrgica com ileocolectomia direita para
ampliação de margens e linfadenectomia. Realizado anastomose ileo-transverso, latero-lateral.
Anatomopatológico da segunda abordagem livre de lesões. Paciente evoluiu bem no pós
operatório.

Discussão

Neoplasias malignas do apêndice representam 0,5 a 1% das neoplasias intestinais. Lesões mucinosas apendiculares são caracterizadas por apêndice distendido, cheio de muco ou rompido. Podem ser não neoplásicos (mucoceles/cistos) ou malignas (neoplasia mucinosa de baixo/alto grau). A maioria das lesões mucinosas do apêndice são diagnosticadas durante procedimento cirúrgico. Os adenocarcinomas apendiculares são assintomáticos ou podem apresentar-se com o quadro de apendicite aguda. Suas características marcantes são seu padrão infiltrativo com reação estromal desmoplásica. As neoplasias mucinosas podem perfurar e se espalhar para cavidade peritoneal, cursando com pseudomixoma peritonei. O tratamento para doença localizada baseia-se na cirurgia de ressecção, evitando disseminação do conteúdo mucinosos pela cavidade. A expansão da apendicectomia para colectomia direita pode ser realizada em casos de rompimento da peça com pequena quantidade de mucina extravasada na cavidade.

Comentários Finais

Lesões neoplásicas do apêndice cecal são raras e de apresentação pouco específica. Casos de apendicite aguda com apresentação clínica não usual devem gerar suspeita. O tratamento cirúrgico é o de escolha e deve ser com cuidados em relação a manipulação da peça e perfurações, principalmente em cirurgias de urgência.

Palavras-chave

Neoplasia de apêndice cecal, Adenocarcinoma mucionoso

Área

Tumores coloretais e canal anal*

Autores

ANTONIO MATOS ROCHA, MARINA MONTEGUTI SAVI, MATHEUS BACKES ZAMBONATO, EDEN EDIMUR ROSSI JR, NASARENO SILVA