XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Melanoma Vulvar: Relato de caso

Apresentação do caso

Paciente do sexo feminino, 45 anos, apresentou uma biópsia com anatomopatológico revelando um extenso melanoma (pagetoide) no grande lábio direito, em fase de crescimento vertical, com ausência de ulceração, Nível IV de Clarck e Breslow de 1,6mm; não foi identificado nevo melanocítico pré-existente e apresentava linfonodos inguinais não palpáveis. Na tomografia abdominal, identificou linfonodos inguinais de até 1,6cm; e na tomografia tórax, mostrou granuloma no lobo inferior esquerdo do pulmão. Três meses depois, foi realizada a excisão da lesão com vulvectomia parcial, reconstrução com retalho miocutâneo e linfadenectomia seletiva guiada (Linfonodo sentinela). O material foi enviado para a patologia, onde foi observado melanoma nodular, com presença de ulceração, nível V de Clarck (hipoderme), Breslow de 19mm, infiltrado inflamatório tumoral presente e inativo, com invasão vascular linfática e satelitose microscópica presente. Metástase em linfonodo inguinal direito, extravasamento capsular, tamanho e localização do foco metastático: 20mm, intraparenquimatoso. Estadio (pTNM): pT4b pN1a.

Discussão

As neoplasias vulvares representam um problema ginecológico, sendo os melanomas o segundo tipo mais comum. Eles são raros e agressivos, representando cerca de 10% das neoplasias vulvares e 3% dos melanomas. Possuem prognóstico desfavorável, com tendência a metástases regionais e à distância, com sobrevida em 5 anos de 37-50%. Seus principais fatores prognósticos são: profundidade da invasão e envolvimento linfonodal. Para esta paciente do caso supracitado, por apresentar uma grande lesão, de evolução rápida e presença de metástases, foi realizada excisão com vulvectomia parcial. Além disso, foi solicitada avaliação da oncologia clínica para avaliar a necessidade de terapia adjuvante.

Comentários Finais

O caso relatado e as publicações levantadas mostram a importância do diagnóstico e tratamento precoces dos melanomas, visto que apresenta rápida evolução, tornando-se bastante agressivo ao paciente, sendo necessário um rápido diagnóstico seguido por uma rápida intervenção. Assim, fazendo diagnóstico e tratamento precoces, é possível que o paciente tenha resultados satisfatórios e uma boa qualidade de vida, caso contrário, pode gerar consequências drásticas como a vulvectomia total, podendo acarretar inclusive a morte do paciente.

Palavras-chave

melanoma; vulvar cancer; melanoma vulvar.

Área

Oncoginecologia*

Autores

DANIELA TEIXEIRA JALES, LAURA CRISTINA COSTA SILVA, VITORIA RIBEIRO DANTAS MARINHO, CITARA TRINDADE QUEIROZ, LUANA ARAGÃO COSTA CASTRO FELCE, FERNANDA DANTAS PINTO PAIVA, BEATRIZ ANDRADE BRANDÃO, RENATA BEATRIZ BESSA TEIXEIRA, JOSE TOVENIS FERNANDES JUNIOR, FRANCIMAR KETSIA SERRA ARAÚJO