XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

USO DE GAMMA-PROBE ADAPTADO POR VIA VAGINAL NA PESQUISA DO LINFONODO SENTINELA VIDEOLAPAROSCÓPICO

Resumo

A pesquisa do linfonodo sentinela tem sido amplamente utilizada como etapa do estadiamento cirúrgico dos cânceres ginecológicos, inclusive na abordagem videolaparoscópica. Porém, algumas vezes, o encontro do linfonodo pode representar um desafio, já que depende de substâncias, como o azul patente, para sua busca e identificação após a migração do corante e sua concentração no gânglio correspondente. Como alternativa a essa dificuldade, a associação de modalidades de marcadores, com o tecnécio-99m, pode contribuir para maiores taxas de encontro do sentinela. No entanto, a identificação do linfonodo captante, por via laparoscópica, geralmente é possível apenas em serviços que possuem uma sonda gamma-probe endoscópica - que não representa a realidade da maioria das instituições que executam essa abordagem. Parte das instituições que oferecem tratamento oncológico possuem sonda gamma-probe para utilização em cirurgias abertas. O objetivo deste vídeo é demonstrar uma possível utilização do gamma-probe comum de forma adaptada por via vaginal para identificação do linfonodo sentinela. Neste vídeo, foi demostrada uma falha na pesquisa do linfonodo sentinela da hemipelve esquerda por via laparoscópica utilizando a injeção do azul patente no colo uterino. A paciente havia realizado também a injeção de tecnécio-99m no colo uterino previamente à cirurgia (linfocintilografia), que demonstrou captação do radiofármaco bilateralmente na pelve. Após a falha com o azul patente, foi prosseguida a histerectomia laparoscópica e, a seguir, utilizamos uma luva estéril para proteção da sonda gamma-probe tradicional para uso intra-operatório, a qual foi introduzida por via vaginal para rastreamento do linfonodo sentinela, que foi encontrado após a busca com a sonda na região ilíaca externa esquerda. O linfonodo foi então dissecado e ressecado. A confirmação de que o mesmo era o sentinela foi realizada por meio da identificação de sua alta captação de tecnécio pelo gamma-probe de forma extracorpórea. Por meio desse vídeo, pode-se demonstrar que o uso do tecnécio e de adaptações para sua utilização, até mesmo na abordagem videolaparoscópica, pode contribuir para maiores taxas de encontro do linfonodo sentinela nas cirurgias oncoginecológicas.

Palavras-chave

sentinela / gamma-probe / laparoscopia

Área

Oncoginecologia*

Autores

ADRIELLE DE LIMA MUNHÓZ, BRUNO CASTRO REAL RIBEIRO, LETÍCIA ISABEL PEDRINI, AUDREY TIEKO TSUNODA