XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Dermatofibrossarcoma protuberans (DFSP) inguinal multirrecidivado: Ressecção ampla e reconstrução com retalho cutâneo abdominal.

Apresentação do caso

Paciente 61 anos de idade, sexo masculino, apresentou lesão em topografia inguinal com crescimento progressivo com diagnóstico de DFSP. Primeira ressecção cirúrgica fora do INCA em 2006. Evoluiu com recidiva local e progressão linfonodal 1 ano após, sendo submetido a nova ressecção ampla e linfadenectomia inguinal, agora no INCA, em 2007. A patologia confirmou o diagnóstico de DFSP recidivado, com infiltrado de pele e tecido celular subcutâneo, formando tumorações polipóides, e linfonodos livres de neoplasia. Dois anos após, o paciente apresentou lesões tumorais em coxa direita, sendo realizado biópsia, confirmando recidiva tumoral. Submetido a terceira ressecção ampla com margens livres. Ficou em seguimento clínico por 3 anos, quando em 2012, apresentou novas lesões em região da coxa direita e crista ilíaca anterior direita, com mesmo diagnóstico de DFSP recidivado e optado por nova ressecção cirúrgica oncológica. O quadro recorreu em 2019, com nova ressecção de lesão. A quinta e última ressecção foi em junho de 2021, sendo este submetido a excisão cirúrgica ampla com controle circunferencial de margens e reconstrução com retalho cutâneo abdominal.

Discussão

O DFSP é uma neoplasia cutânea de baixo grau, constituindo menos de 0,1% de todas as malignidades, e microscopicamente compromete a derme e o tecido celular subcutâneo. Acomete adultos jovens entre 20-50 anos de idade. A recidiva local é frequente e menos de 3% progride com metástase à distância, sendo os linfonodos o principal sítio de metástase seguido pelo pulmão. Tem como tratamento padrão ouro a excisão ampla local com margem cirúrgica de, pelo menos, 2 cm e limite profundo até a fáscia muscular sempre que possível. Essa patologia tem como principais sítios de acometimento o tórax, as extremidades e a região de cabeça e pescoço. Casos de comprometimento inguinal, como do caso supracitado, são raros. A última ressecção realizada obedeceu todos os princípios oncológicos e o critério citado, com margens livres de 2 cm confirmadas pela congelação circunferencial de margens no peroperatório, possibilitando a reconstrução com retalho cutâneo abdominal juntamente ao serviço de cirurgia plástica.

Comentários Finais

Foi relatado um caso de múltiplas recidivas de DFSP em região atípica (inguinal), com seguimento oncológico dentro do previsto, sendo realizado cinco excisões cirúrgicas oncológicas, sendo a última performada com extensa ressecção e reconstrução preconizando o bom resultado oncológico, funcional e estético do paciente.

Palavras-chave

dermatofibrossarcoma protuberans; multirrecidivado; margem cirurgica

Área

Sarcomas / tumores ósseos*

Autores

SARAH HULLIANE FREITAS PINHEIRO DE PAIVA, JADIVAN LEITE DE OLIVEIRA, RAFAEL LEAL DE MENEZES, KAIQUE TORRES FERNANDES, LALYA CRISTINA SARMENTO DE FREITAS, JULIANA VETORAZO ALVARENGA, PRISCILA FERREIRA SOTO, ROBERTO ANDRE TORRES VASCONCELOS, NELSON JOSE JABOUR FIOD, LUIZ FERNANDO NUNES