XV Congresso Brasileiro de Cirurgia Oncológica

Página Inicial » Inscrições Científicas » Trabalhos

Dados do Trabalho


Título

Preservação de fertilidade em paciente jovem com tumor borderline micropapilar de ovario

Apresentação do caso

C.C.S, 21 anos, sexo feminino, sem comorbidades prévias ou histórico familiar relevante, apresentava há 06 meses dismenorreia, realizou ultrassonografia que evidenciou massa anexial esquerda. Solicitada ressonância magnética de abdome e pelve com volumosa formação cístico-sólida à esquerda de 7,3 cm. Submetida a laparoscopia que evidenciou tumoração em ovário esquerdo com vegetações, adenomegalia obturatória ipsilateral e implantes em peritoneo, bexiga e fundo de saco. O anatomopatológico evidenciou tumor seroso borderline com áreas de variante micropapilar associado a adenofibroma seroso; Tuba uterina e linfonodos livres de neoplasia. Implantes peritoneais e vesicais com sinais de implantes não invasivos de tumor borderline. Paciente evoluiu sem queixas em pós operatório. Realizada videolaparoscopia diagnóstica (second look) após três meses, sem evidências de recidiva. Paciente segue em acompanhamento ambulatorial.

Discussão

O câncer de ovário é responsável por 4% dos cânceres femininos, tornando-se mais comum com o avançar da idade, sendo raros em adolescentes e adultos jovens. Os tumores borderline correspondem a 15% dos tumores de ovário e apresentam características intermediárias entre os carcinomas epiteliais e cistoadenomas de ovário. É caracterizado pela presença histológica de hiperplasia epitelial na forma de pseudoestratificação, tufos, arquitetura micropapilar e cribiforme, atipia nuclear com atividade mitótica aumentada, ninhos de células destacadas e ausência de invasão destrutiva do estroma. Há várias etiologias possíveis, porém as mais prevalentes são mucinosa e serosa, sendo esta última a mais comum. Dentre os tumores borderline seroso há dois subtipos, o Típico (90%) e Micropapilar (5-10%). Sintomatologia é escassa sendo geralmente descobertos incidentalmente. Não existem achados de imagem fortemente sugestivos de tumor borderline, sendo o diagnóstico reservado a avaliação anatomopatológica. O estadiamento é o mesmo preconizado para os tumores ovarianos dos quais 70% são diagnosticados em estágio I; nesse estadiamento, o tratamento é a ooforectomia unilateral com biópsias de lesões suspeitas. O tratamento adjuvante quimioterápico é controverso.

Comentários Finais

O caso apresenta um subtipo histológico raro de tumor de ovário, com adenomegalia, sem evidência de neoplasia, e disseminação peritoneal não invasiva, em paciente jovem com desejo de constituir prole. Discussão sobre os limites e indicação de citorredução e optado pelo seguimento periódico.

Palavras-chave

preservação de fertilidade em tumor epitelial de ovário; tumor borderline micropapilar de ovário; neoplasia epitelial de ovário

Área

Oncoginecologia*

Autores

DANIEL CAMARA ALHEIROS DE SOUZA, CAIO VINICIUS DINO TAVARES, EMIDIANA RAQUEL RODRIGUES DE SOUZA OLIVEIRA, CAIO PORCIUNCULA TEIXEIRA BASTO, CAROLINA VIEIRA DE OLIVEIRA SALERNO, GABRIEL TAVARES XAVIER SIMPLICIO, FERNANDA KURY DIAS MARTINS, ANA CAROLINA BRANCO NEVES SILVA, JERONIMO PAULO ASSIS DA SILVA